quarta-feira, 29 de junho de 2011

Diário de Bordo (1) - CEU Aricanduva

Estamos nos reunindo em torno da ideia deste grupo desde dezembro de 2010 - e muita coisa tem sido pensada, discutida, desenhada... desde então. A data de início junto a secretaria de cultura, por meio do programa VAI, ficou sendo 1 de junho e, meio sem querer, foi nesta data mesmo que nos encontramos no CEU Aricanduva, um dos espaços que abriu as portas para o Boi Voador, para conhecer melhor seus espaços e infraestrutura.

Marcamos esta reunião como a primeira desta nova fase e decidimos que, de tempos em tempos, postaremos as páginas de um diário para contar um pouco dessa incrível jornada que é estar em um grupo de larp no Brasil!

dia 1 de junho, com início por volta das 14hs: 


Começamos nossa visita ao CEU com um passeio independente pelo espaços. conhecemos toda a área externa, incluindo o centro de educação infantil e a biblioteca. Depois, fomos ao núcleo de cultura, onde havíamos sido recebidos no começo do ano para iniciar a parceria. Lá fomos atendidos pelo mesmo rapaz que nos atendeu na outra ocasião e ele nos levou para conhecer os espaços internos onde poderíamos desenvolver algum larp. Teatro, biblioteca, salas de estudo e espaço de uso múltiplo. Muitas ideias surgiram e fomos convidados a utilizar este último, ainda que os demais continuassem abertos. Voltamos para nossas casa, naquele dia, com o compromisso de imaginarmos que tipos de história poderiam ser vividas ali dentro daqueles espaços.

Espaço de uso múltiplo do CEU Aricanduva:
teto inclinado, piso de madeira, urdimento e cortinas pretas.
Do lado de fora, duas tendas permanentes.

Além disso, celebrando o início oficial do projeto, batemos o martelo sobre o blog. Ficou decidido que seriam realmente 2 blogs (como eu havia sugerido após aprovação no vai) um que seria um blog de grupo, com nossas pesquisas, referências e diários; e outro que seria para armazenar textos, discutir teorias, realizar mapeamentos, um blog de pesquisa sobre a linguagem, não datado e com a possibilidade de colaboração e continuação por outros grupos e pessoas interessados no larp.

Discutimos sobre o design e padrões de postagem nesses blogs e sobre alguns pontos da divulgação e comunicação do grupo. Além, é claro, que algumas questões organizacionais que não tinham ficado muito claras.

Foi pauta também a organização dos Workshops: temos 4 previstos para ocorrerem ao longo do projeto. A idéia é chamar pessoas de áreas correlatas para estabelecer diálogos entre o larp e suas próprias áreas de atuação. Esses encontros serão divulgados neste blog e abertos a inscrição de interessados.

Terminamos nossa reunião tomando um café no Shopping que fica ao lado do CEU e levamos embaixo do braço nossa "lição de casa". Foi bom! E já temos alguns frutos!, mas isso é assunto para outra postagem!

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Nossos LARPs

O grupo BOI VOADOR tem clara uma metodologia de work in progress, com o trabalho sendo desenvolvido ao longo da pesquisa. Mas algumas idéias já ganharam mais delineamento e devem entrar para o projeto com poucas modificações. Ficam aqui como amostra do tipo de experimentação que pretendemos.

Sanatório (nome provisório)

Ao contrário do que costuma acontecer em um larp convencional, aqui, os participantes não receberão seus personagens nem criarão eles mesmos. Eles entrarão na narrativa com personagens completamente desmemoriados, vestidos de branco, em um espaço, a princípio, todo branco também.

O projeto deste larp, com sua primeira versão de larpwright já finalizada, prevê iluminação, figurinos e cenário elaborados, bem como um roteiro de imersão rigoroso - para otimizar a experiência dos participantes a partir desses artifícios.

Mais

Alguns encaminhamentos teóricos já foram elencados (como pesquisa em game-design e a tradução dos manifestos europeus sobre larp) e outros tantos apontamentos práticos estão fervilhando (como um live onde não se pode usar a fala...) o princípio é o mesmo em ambos os casos: alargar as fronteiras do live action roleplaying!

O que é larp?

LARP é a sigla para Live Action Roleplay, algo que pode ser traduzido como “interpretação de papéis ao vivo”, mas essa tradução não dá conta de esclarecer o que é. Roleplay é na verdade um tipo de atividade onde os participantes interpretam personagens sem ter um roteiro definido, o Live Action aqui teria o sentido de ‘de improviso‘.

  • “Um larp é um encontro entre pessoas que, por meio de seus personagens, relacionam-se uns com os outros em um mundo ficcional” (definição de Eirik Fatland & Lars Wingård em tradução livre)
  • Mistura de Jogo com Teatro
  • Para 5 a 30 pessoas, duração de 2 a 6 horas
  • A história é proposta pela organização do evento, mas a condução é dada por todos os participantes a partir das escolhas que fazem interpretando seus personagens.
  • Um larp não é só interativo, ele é PARTICIPATIVO. Ele se constrói a partir das decisões e interação de todos os participantes e não acontece de outro jeito. Não chega pronto ao público final e é diferente sempre que realizado.
  • Muito desenvolvido ao redor do mundo, mas ainda pouco desenvolvido no Brasil.

Falcão e seu Boi Voador

O primeiro clipping do grupo apareceu na internet mesmo antes do projeto começar. Isto é... o grupo já se reunia há algum tempo, mas oficialmente o projeto do VAI ainda não tinha iniciado.

(...) mostrar que esse gênero possui uma linguagem plural e rica a ser pesquisada e desenvolvida é o intuito do Boi Voador. “O Larp tem uma potencialidade artística/cultural muito rica”, explica Falcão.

O grupo acaba de ser aprovado pelo edital do Programa de Valorização de Iniciativas Culturais da Prefeitura de São Paulo (VAI) com um projeto que pretende investigar as possibilidades artísticas do Live-Action. “Um Larp não é só interativo, ele é participativo e se constrói a partir da decisão e interação de todos os participantes. Não chega pronto ao público final e é diferente sempre que realizado. Queremos desenvolver estudos e técnicas desse gênero no Brasil
 confira a matéria completa no site da SP Escola de Teatro.

domingo, 19 de junho de 2011

Boi Voador Não Pode

Quem foi, quem foi
Que falou no boi voador
Manda prender esse boi
Seja esse boi o que for

O boi ainda dá bode
Qual é a do boi que revoa
Boi realmente não pode
Voar à toa

É fora, é fora, é fora
É fora da lei, é fora do ar
É fora, é fora, é fora
Segura esse boi
Proibido voar

Boi Voador Não Pode,
Chico Buarque e Ruy Guerra



No Brasil, o larp tem sido considerado “apenas um jogo” ou mesmo um “acessório” para outras atividades e eventos.

Nós do BOI VOADOR acreditamos que ele é mais - é um meio de expressão, uma manifestação cultural e uma linguagem artística. Como uma peça de teatro, um livro ou uma pintura.

Certa vez ouvimos “não, não pode” e lembramos do boi que revoa.
Daí vem o nome do nosso grupo.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...